Como é feita a gestão de transporte?

Entendendo o cenário de roubo de cargas no Brasil
20 de fevereiro de 2018

O Brasil é um dos países com uma das maiores e mais defasadas malhas viárias do mundo — apenas 12,3% da malha viária brasileira é pavimentada, segundo a Confederação Nacional dos Transportes. E questões como essas são o que tornam uma gestão de transporte extremamente desafiadora.

Na prática, o gestor de transporte de uma empresa sempre precisou fazer mais do que simplesmente contratar transportadoras ou cuidar da frota de veículos, porém, com a crise econômica, esse profissional passou a se preocupar com pontos ainda mais abrangentes durante a sua rotina.

Pensando nisso, este artigo discutirá sobre a gestão de transporte no Brasil: o conceito, as etapas e os principais obstáculos. Acompanhe a leitura e confira!

O que é a gestão de transporte?

De uma maneira simples, a gestão de transporte é a supervisão e o acompanhamento de toda a movimentação física de uma carga, independentemente da distância ou dos pontos percorridos.

O controle de gestão envolve os mínimos detalhes, que vão desde despesas com combustíveis dos veículos até taxas externas (como pedágios, por exemplo).

No entanto, quais etapas precisam ser seguidas para a realização de uma gestão de transporte? Veja as principais logo abaixo.

Conferência

Antes de a carga partir para a entrega, ou mesmo em um recebimento de mercadoria, a conferência se torna essencial. É uma etapa que deve ser realizada com bastante atenção, pois erros cometidos nessa fase podem trazer grandes prejuízos, como atrasos e perda de produtos.

Roteirização

Quando os prazos de entrega são cumpridos, todos os envolvidos são beneficiados. Por isso, trabalhar com roteirização inteligente é uma das etapas essenciais da gestão de transporte. Com um trabalho voltado para otimizar essa fase, o gestor consegue:

  • identificar as melhores rotas;
  • economizar tempo e combustível;
  • ganhar qualidade no serviço.

Monitoramento e análise

Não há como saber se os serviços realizados estão alcançando os resultados esperados se não houver um monitoramento e uma análise de desempenho. Essa etapa começa com a definição dos KPIs (Keys Performance Indicators), seguida de acompanhamento e análise.

Quais os principais obstáculos da gestão de transporte no Brasil?

Como dito na introdução, o gestor de transporte, no Brasil, precisa se preocupar com questões que vão além dos veículos e das transportadoras, já que o país continental impõe inúmeros obstáculos para os profissionais da área. Entre as principais dificuldades, estão: qualidade das estradas e a violência.

Qualidade das estradas

Esse é um ponto que pode ser visto, até mesmo, como contraditório: o modal viário é o principal do país, porém as rodovias são de péssima qualidade. Infelizmente, essa é a realidade do Brasil.

Para superar esse obstáculo em particular, o gestor pode contar com a tecnologia e utilizar ferramentas de roteirização. Com isso, será possível estabelecer novas rotas e evitar estradas em péssima conservação, diminuindo os riscos de prejuízos em veículos e cargas.

Violência

Mais um problema de macroambiente, porém, diferentemente das rodovias, essa dificuldade é recente e com forte tendência de crescimento.

Os sistemas de rastreamento de veículo tem sido uma das soluções mais utilizadas por empresas de diversos segmentos para blindar e garantir maior segurança aos veículos. Para organizações que precisam trabalhar em grandes centros urbanos, o sistema é um item indispensável.

Enfim, para se ter sucesso na gestão de transporte no Brasil, é preciso ter muito empenho, conhecimento e desenvoltura para lidar com os obstáculos rotineiros. Sendo pouco provável resolver questões externas, as empresas precisam trabalhar com inteligência para manter a competitividade no mercado.

Gostou da postagem? Curta a nossa página no Facebook e fique sempre atualizado! Vamos lá!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *